Sudamerica

Dúvidas

O que é seguro e por que você pode precisar dele?

Proteger nossas famílias e bens é uma alta prioridade; Desemprego, doenças, acidentes e mesmo a morte são riscos que nos deparamos a todos os momentos. Os seguros desempenham um papel vital ao permitir que as pessoas se protejam contra tais riscos ou ao propiciar via planos de previdência uma renda adicional para você e sua família na fase da aposentadoria. Com sorte você nunca precisará requisitar uma indenização, mas se algo der errado, o seguro lhe pode poupar milhares de reais.

Embora apólices de seguro possam parecer complicadas, a base é simples. Você paga para se segurar contra algo que possa acontecer com você ou com seu patrimônio. Se o pior acontecer, a companhia de seguros paga o custo total de reparação ou de substituição dos bens danificados ou uma quantia acordada.

Como o risco é calculado?

Os prêmios de seguro são calculados com base no risco. Geralmente, quanto maior a probabilidade de uma pessoa sofrer um sinistro e quanto maior o dano decorrente desse sinistro, maior será o prêmio cobrado.

Com frequência, é bastante óbvio o motivo pelo qual algumas pessoas pagam mais por sua cobertura de seguro – por exemplo, carros com motores possantes frequentemente terão prêmios maiores que os dos carros com motores mais fracos. A idade de uma pessoa é um importante fator para ajudar as seguradoras de automóveis a determinar o nível de risco que elas representam. As evidências demonstram uma forte ligação entre a idade de uma pessoa e a probabilidade da ocorrência de um sinistro.

Muitas vezes a idade madura é fator positivo para diminuir a probabilidade de sinistro. Expressivo é o número de seguradoras que adotam o chamado “perfil do segurado” para estabelecer o prêmio do seguro. Por exemplo, veículo guardado em garagem, inexistência de filhos jovens que possam provocar acidentes etc.

No seguro residencial, o histórico de crédito do segurado pode ser um indicador de risco, e as evidências demonstram que essa informação é um previsor da experiência de sinistros. Dessa forma, algumas seguradoras – embora nem todas – utilizam informações de crédito como um dentre diversos fatores de classificação para determinar o nível de risco, e um histórico de crédito ruim tende a resultar em um prêmio mais alto.

No seguro de viagem, se você tiver uma deficiência, alguma condição especial de saúde ou uma doença pré-existente isso pode afetar seu prêmio e o nível de cobertura disponível. A avaliação de risco de uma seguradora se baseia principalmente na experiência de sinistros construída ao longo de muitos anos. Evidências demonstram que o histórico médico pode afetar a probabilidade de a pessoa sofrer um sinistro e o custo potencial desse sinistro.

Como contratar um seguro?

Os seguros podem ser adquiridos de diversas formas:

  • Através de corretores de seguros, legalmente habilitados, que podem dar orientação sobre quais os produtos que melhor atendem às suas necessidades e circunstâncias.
  • Direto das seguradoras
  • Em uma instituição financeira que possua uma seguradora, principalmente, no caso dos produtos de previdência complementar.
  • Em uma loja de departamentos, no caso de seguro de garantia estendida – eletros ou numa agência de automóveis – caso de seguro de garantia estendida – automóveis.
  • Juntamente com outro produto, por exemplo, comprando seguro de viagem através de um agente de viagens ou comprando um seguro de vida quando abre uma conta bancária, desde que a venda do seguro não seja obrigatória, o que é considerada operação casada, proibida pela legislação.

A contratação do seguro consiste em três partes:

  • Proposta: contém a descrição completa e detalhada do bem segurado e as condições financeiras do seguro. Ela caracteriza a intenção de efetivar o contrato do seguro com uma determinada seguradora.
  • Apólice: é o documento que formaliza o contrato de seguro, estabelecendo os direitos e as obrigações da seguradora e do segurado. A Apólice de seguro caracteriza a aceitação dos itens discriminados na Proposta e o compromisso formal da seguradora em atender todas as obrigações advindas das cláusulas contidas na Proposta.
  • Endosso: é o documento que promove alterações no contrato de seguro vigente. A modificação, alteração ou correção de qualquer dado de um contrato de seguro, inclusive do valor do prêmio e da importância segurada, só é possível mediante endosso.

O que é o sinistro?

É a causa que motiva a utilização do seguro (acidente de carro, morte súbita, incêndio, etc.)

O que fazer quando ocorre um sinistro?

Primeiramente, é preciso registrar a ocorrência junto à autoridade policial competente. Em seguida, se você tiver um corretor, deverá informá-lo, para em seguida fornecer à seguradora todos os dados e documentos necessários à comprovação do sinistro.

O que é franquia?

É a participação do segurado no risco, dividindo os custos das despesas com a seguradora.

É obrigatório pagar a franquia?

Isso depende do tipo de seguro contratado e das disposições da Apólice. Por isso é importante verificar com atenção todas as informações do contrato e da apólice antes de fechar o contrato, para que fique claro o que compete ao segurado (você) e o que compete à seguradora.

O que é apólice?

É o documento emitido pela seguradora que formaliza a aceitação do risco do segurado, estabelecendo os direitos e as obrigações de cada parte.

Qual a diferença entre dependentes e beneficiários?

Os dependentes são as pessoas que dependem financeiramente do segurado (cônjuge, filhos, e outros dependentes legais).
O beneficiário pode ser a própria pessoa que contratou o seguro, bem como a família do segurado, ou até mesmo pessoas sem relação de parentesco.
Normalmente os beneficiários são os dependentes do segurado, mas isso não é regra. Qualquer pessoa pode receber o pagamento do seguro, contanto que esteja listada como beneficiário na Apólice.

O que é prêmio?

É o valor que o segurado paga à seguradora para que esta administre os riscos. O valor do prêmio é proporcional à quantidade de risco.

Quem é o corretor?

É um profissional legalmente autorizado que trabalha na orientação ao segurado, quando da contratação de seu seguro. Esse profissional pode representar os interesses do segurado junto às seguradoras.

Uma seguradora pode se recusar a fazer um seguro?

Sim. Caso o risco seja muito alto, a seguradora pode recusar a proposta de seguro.
Caso a proposta não seja aceita, a seguradora deve, obrigatoriamente, comunicar a recusa ao segurado, especificando os motivos.
No caso de recusa de propostas que foram recepcionadas com adiantamento, parcial ou total, do preço do seguro (prêmio), a cobertura de seguro prevalecerá por mais 2 (dois) dias úteis, contados a partir da data em que o cliente tiver conhecimento formal da recusa, e o valor do adiantamento deve ser restituído, deduzido da parcela correspondente ao período em que tiver prevalecido a cobertura.
No mercado de seguros, é prática comum, mas não obrigatória, a devolução do adiantamento corrigido monetariamente desde o pagamento. Isso costuma estar explicitado nas Condições Gerais do seguro.

Quando contratado, o seguro de vida é vitalício ou é preciso fazer renovação?

Normalmente os seguros possuem um prazo de vigência. Após este prazo, é preciso renovar a proposta de seguro e a apólice. De acordo com a situação, a seguradora pode recusar a renovação do seguro.

Que motivos poderiam causar a recusa de um seguro de vida?

Um seguro de vida pode ser recusado se o risco for iminente. Um exemplo claro é a idade: as seguradoras normalmente não aceitam realizar seguros para maiores de 65 anos, pois a expectativa de vida dessas pessoas é mais baixa, e a chance de ocorrer o sinistro é maior. Outro exemplo é a recusa pelo estilo de vida: ao realizar a análise de risco, a seguradora pode constatar que a pessoa possui um estilo de vida arriscado por praticar muitos esportes radicais, por exemplo, e recusar a proposta.

Ainda com dúvidas? Entre em contato conosco e teremos o prazer de atendê-lo.